terça-feira, 27 de maio de 2008

O mundo dá voltas

Acordei cedo (quase cedo) para trabalhar.
Meu corpo levantou-se da cama mas minha mente ainda estava lá.
Algo me dizia que a semana iria começar com uma segunda. (Parece óbvio, mas não é).
No meu dicionário, segunda-feira é sinonimo de: cansaço dobrado, preguiça, dia ruim, mal-humor, azar, aula de metodologia cientifica (nada agradável), sono o dia todo (comum em todos os dias da semana), estresse, mal-estar, baixo-estima e bla bla blá.

Mas hoje eu senti um algo a mais, por que alem de ser segunda-feira hoje já é dia 26/05, final de mês. Isso significa que já não tenho dinheiro e que todos os trabalhos para conclusão do semestre na faculdade estão com o prazo de entrega quase expirando e eu... bom eu até que me esforço para não me contagiar com o vírus do mal-humor.

Difícil, muito difícil!

Segui rumo ao banheiro, ainda em estado de transe quando um tropeção me obrigou a acordar. Olhei para o espelho:
_Droga! Mais um dia está começando.
Não! Eu não sou louca, apenas gosto de conversar com o espelho.

Abri a torneira e joguei no rosto aquela água gelada e pronto!
Eu sabia que o café preto completaria a ultima etapa do processo de despertar.
Atrasada como sempre, sai de casa sem conferir pela sétima vez se tudo (que me é ou não necessário) estava na bolsa.

Fone no ouvido, musica alta e bom humor.
Foi assim que me apresentei ao sol esta manhã. Que dia lindo! (E eu indo trabalhar)
Peguei o ônibus lotado de sempre, com as mesmas pessoas de sempre e algumas exceções.
Sem passar a catraca, localizei alguém com cara de "vou descer em breve" me instalei ao seu lado.
Carrego duas bolsas e elas pesam.
O cobrador notará meu sofrimento e gentilmente ofereceu-se para pendura-las no braço de seu banco. Eu aceitei!

Dificilmente erro, mas o fulano que estava sentado demorou-se a levantar e eu fiquei lá de pé, curtindo um som e me equilibrando sobre o salto.
Eu senti um olhar estranho e constante sobre mim.
Sim era o cobrador, eu não havia notado que o ser casado estava tentando flertar com minha pessoa.

Agora, imagine se eu iria ficar olhando e reparando no cobrador do ônibus.
Até que ele era bonitinho (rsrsrs) mas ainda era cobrador e casado.
Fingi não perceber, olhei pro outro lado, disfarcei , mas não teve jeito o cara parecia persistente.
Então eu ignorei, virei a cara e esqueci que ele existia.

Aquela figura não iria fazer parte do meu dia.
Ele me encomodou tanto que resolvi finalmente passar a catraca e me esconder em algum canto no fundo do ônibus. Bati a mão no bolso (onde costumo deixar o bilhete unico minutos antes de pegar a condução) e nada. De repente o ser ao meu lado levantou e eu mais do que rapidamente sentei, peguei a bolsa e revirei-a em busca do meu bilhete.

O cobrador observava. (Maldito, ele sabia o que estava acontecendo).
Eu não costumo andar com dinheiro na carteira (então por favor não me assaltem) e também não estava com o bilhete.
Pensei: "E agora ? Esnobei o cara e ainda vou ter que pedir carona pra descer sem pagar".

Eu não tinha saida, então sorri, olhei pra ele com cara de pessoa agradável e joguei-lhe todo o charme do mundo (como se eu pudesse faze-lo) e disse:
_Desculpe, mas eu esqueci meu bilhete e estou sem 1 real na carteira, posso descer pela porta da frente ? (Ai que ódio de mim mesma).

Sem pestanejar ele disse que sim e sorriu com cara de deboche.
Que mico! Cuspi pra cima e senti minha testa molhando.
É... o meu dia estava apenas começando.

Horóscopo do dia:

"Não se engane, se o dia está ruim preocupe-se por que ele pode piorar"

Sem comentários.

Um comentário:

  1. Oie!! Ta muito bom o blog hein!! Nada melhor que umas corezinhas...


    Bjaos

    ResponderExcluir